Planejar a chegada de um bebê é, sem dúvidas, um dos momentos mais felizes, conturbados e confusos da vida de uma mulher. Isso porque, ao mesmo tempo que um turbilhão de mudanças ocorre em seu corpo, alterando inclusive seu estado emocional, você também precisa estar pronta para todas as outras questões como sua saúde e a saúde do bebê. E com tantas coisas em mente, é muito fácil acabar caindo em superstições ou informações incorretas sobre o que é ou não melhor para a gravidez. Para te ajudar nesse ponto, hoje vamos falar sobre as diferenças entre o ácido fólico e o metilfolato, mostrando o que eles são, para que servem e em que situações eles podem ajudar uma mulher grávida. Quer saber mais? Leia até o fim e confira!

O que é o Ácido Fólico?

O ácido fólico é um tipo de vitamina extremamente importante para o nosso organismo. É ela a responsável pela produção de determinadas proteínas, das hemácias, da reparação em nosso DNA, da manutenção do sistema nervoso e cardiovascular e, principalmente, da divisão e produção celular. E essa é uma das razões pelas quais o ácido fólico é indicado para gestantes, afinal, quando falamos no crescimento de um feto, estamos também falando de produção e crescimento de células.

Recomenda-se que uma mulher comece a tomar um suplemento baseado em ácido fólico cerca de um mês antes de engravidar. Isso faz com que seu organismo já esteja preparado para ter um maior cuidado na produção de células e ajuda a fazer com que o feto tenha uma boa formação, principalmente no que diz respeito ao sistema nervoso e ao tudo neural do feto.

Ainda assim, é sempre importante conversar com seu médico antes de tomar qualquer tipo de suplemento. Isso porque você precisa ter certeza de que seu corpo não irá reagir de forma estranha e nem se você terá uma superdosagem de vitamina, o que pode ser ruim inclusive para o bebê. Portanto, preste atenção nesses detalhes também.

Uma de suas principais vantagens é que o folato pode ser encontrado naturalmente em diversos alimentos, como:

  • Laranja
  • Limão
  • Feijão
  • Grão de bico
  • Banana
  • Manga
  • Fígado
  • Agrião
  • Couve
  • Cereais integrais
  • Abacate
  • Espinafre
  • Ovo

É claro que cada alimento possui mais ou menos folato e que cada organismo pode ingeri-los de uma forma diferente. Porém, no geral, a ingestão de todos esses alimentos listados acima pode ajudar a mulher com o folato, além de todos os outros benefícios que eles também possuem.

comida natural

Apesar de não estarem diretamente ligados à gravidez, achamos importante listar outros benefícios que o ácido fólico pode trazer. Isso porque todos os que listarmos aqui também acabam ajudando na formação do bebê durante a gestação, ainda que de forma indireta. Esses benefícios são:

  • Aumenta a imunidade
  • Faz bem para os cabelos e unhas
  • Fortalece os ossos
  • Faz bem para o coração
  • É importante para o sistema nervoso

Vamos falar sobre cada um deles com mais profundidade para que você possa entender melhor como podem beneficiar uma gestante e seu bebê.

Aumenta a imunidade

Quando se está grávida, o corpo passa por transformações gigantescas, o que pode fazer com que a imunidade da mulher caia. Isso é ruim em diversos sentidos, mas principalmente porque uma doença mais séria pode também afetar o bebê. O ácido fólico, ou folato, é essencial para que a imunidade de uma pessoa esteja fortalecida. Por essa razão, seu uso é muito benéfico nesse sentido. É claro que além dele, diversos componentes do complexo B, além de outros também são essenciais para aumentar a imunidade.

Faz bem para os cabelos e unhas

A ingestão de ácido fólico ajuda também a manter sua pele, seus cabelos e suas unhas saudáveis. Isso significa que ele ajuda a reduzir problemas como acne, pele ressecada, cabelos quebradiços e unhas frágeis, entre muitos outros. Quando se está grávida, sua saúde e beleza são muito importantes para manter sua autoestima, portanto o ácido fólico é uma grande ajuda também nesse sentido.

Fortalece os ossos

O ácido fólico é um dos principais aliados quando falamos em prevenção de problemas ósseos. É por essa razão que ele é um dos principais aliados quando falamos na boa formação de um bebê.

Faz bem para o coração

Este é outro grande benefício do ácido fólico. Estudos recentes comprovaram que ele ajuda a reduzir a homocisteína, um tipo de aminoácido que, em excesso, pode causar problemas como coágulos, por exemplo. Isso faz bem tanto para a mãe quanto para o bebê.

É importante para o sistema nervoso

Um dos elementos mais importantes para o desenvolvimento do sistema nervoso e, portanto, do cérebro do bebê, é exatamente o ácido fólico. Além disso, ele também é fundamental no desenvolvimento cognitivo e emocional do bebê, o que faz com que a ingestão dessa vitamina seja ainda mais importante.

O que é o Metilfolato?

Agora que você já entendeu melhor o que é o ácido fólico, podemos finalmente falar sobre o que é o metilfolato. Muitas pessoas acreditam que se trate da mesma coisa. Por isso, antes de mais nada, é necessário explicar a diferença entre os dois.

O metilfolato, ao contrário do ácido fólico, não precisa ser metabolizado pelo nosso corpo, ou seja, trata-se de uma vitamina que é aproveitada totalmente pelo nosso organismo. Apesar de a grande maioria dos suplementos vitamínicos apresentarem o ácido fólico em sua versão mais comum, está cada vez mais fácil encontrar na versão de metilfolato, ou seja, essa versão sintética criada para que nosso corpo absorva 100% de seus nutrientes.

Qual dos dois usar?

Depois de entender exatamente o que é o ácido fólico, o que é o metilfolato e quais são as diferenças entre eles, é comum que você tenha dúvidas sobre qual dos dois utilizar e qual é o melhor para o seu caso. No geral, a recomendação é que se use o ácido fólico para cumprir todas as exigências do seu corpo durante a gestação. Isso porque essa é a forma natural e se mostra muito eficaz. Porém, existem alguns casos em que o uso do metilfolato é o mais recomendado.

Estudos comprovam que cerca de 10% das mulheres não conseguem absorver corretamente o ácido fólico encontrado nos alimentos. Nesses casos, portanto, a indicação é que se use o metilfolato, uma vez que se trata de um produto que não exige que nosso corpo metabolize a vitamina.

Portanto, se você faz parte dos 90% que conseguem converter bem essa vitamina no metabolismo, sua fonte de ácido fólico pode ser através dos alimentos ou de suplementos simples. O uso do metilfolato é indicado para uma minoria que possui esse problema.

Conclusão

Entender exatamente o que o ácido fólico ou o metilfolato são significa também cuidar melhor da sua gravidez. Como dissemos anteriormente, muitas mulheres acreditam que essas são vitaminas que ajudam na fertilidade ou que se trata de um estimulante de hormônios. Quando você pesquisa e entende a função de cada vitamina que pode ajudar em sua gestação, você não apenas garante uma melhor saúde para você e para o bebê, mas também mais calma e tranquilidade para pensar nessas questões. E em momentos em que as emoções estão todas afloradas, isso é essencial.