Nem sempre o corpo humano apresenta sintomas de que algo diferente está acontecendo no seu organismo. Algumas vezes, são sinais quase que imperceptíveis ou até mesmo que podem ser confundidos com outras questões de saúde. E assim acontece com as mulheres durante sua vida fértil e as ocorrências que podem surgir ao longo dela, como é o caso do cisto no ovário.

O que é Cisto no Ovário?

Cistos no ovário são pequenas bolsas que tem em seu interior liquido e que costumam se formar dentro ou fora dos ovários. Grande parte dos cistos no ovário ou cistos ovarianos como também são conhecidos, são gerados através da ovulação ou no momento dela. Por isso, não é considerado como um caso grave ou de grande preocupação aos médicos.

Mas são necessárias avaliações mais especificas, para confirmar sua causa e qual o tratamento mais indicado para solucionar ou ao menos controla-lo. Através de exames de imagens é possível detectar seu formato, suas medidas e determinar o tipo do cisto no ovário.

Na grande maioria dos casos, o cisto no ovário é benigno e desaparece completamente sem nenhuma intervenção e nem tratamento. No caso de persistência e de ocorrência de sintomas, aí o ginecologista recomendará um tratamento medicamentoso, que normalmente é a base de anticoncepcionais.

O cisto no ovário é considerado uma situação comum e que pode surgir em mulheres em idade fértil, principalmente na faixa de 15 a 35 anos. Os cistos podem aparecer por várias vezes no decorrer da vida, alguns desaparecem sem ao menos serem descobertos.

Tipos de Cisto no Ovário

Como já citamos acima, a maioria das ocorrências de cisto no ovário, são consideradas comuns, quase que rotineiras ao ciclo ovulatório. Mas também, existem os tipos de cisto que trazem um pouco mais de preocupação e requerem um tratamento mais especifico para solução ou acompanhamento.

Cisto Folicular

O cisto folicular é um dos tipos que não causam preocupação. Normalmente ocorrem quando por algum motivo ou descontrole hormonal, não ocorre a ovulação. Nessa situação, o ovulo não sai do ovário e acaba gerando um cisto folicular.

Esse cisto folicular pode medir em torno de 2 a 10 cm e não é necessário nenhum tipo de tratamento para tira-lo, já que em 3 a 8 semanas, ele desaparece naturalmente.

Cisto Funcional e Cisto de Corpo Lúteo

Um dos tipos mais comuns de cisto, o cisto funcional é quando o folículo não consegue liberar o ovulo no processo de ovulação, e acaba gerando um líquido em sua parte interna, dando origem ao cisto funcional.

Durante a realização de um ultrassom, é possível verificar a presença de vários cistos funcionais, que pode apontar que a mulher sofreu uma múltipla ovulação. Normalmente desaparecem naturalmente sem intervenção.

Neste mesmo processo, pode se ocorrer o cisto do corpo lúteo. Da mesma forma que é desenvolvido o funcional, mas na sua parte interna, invés de líquido, contém uma pequena quantidade de sangue. Neste caso, o cisto do corpo lúteo pode medir de 3 a 4 cm e ser rompido durante movimentos bruscos ou até mesmo durante o ato sexual.

Em alguns casos, se provocar sintomas e desconfortos, pode ser necessário intervenção cirúrgica para retira-lo ou até mesmo por laparoscopia.

Cisto de Teca-luteína

Considerado um cisto de tipo mais raro, costuma ocorrer em mulheres que fazem tratamentos para conseguir engravidar. Normalmente devido a super estimulações ovulatórias causados pelos medicamentos. Costuma ser controlado com a suspensão do tratamento ou a troca de substâncias utilizadas.

Cisto Hemorrágico

Um pouco mais preocupante que os demais cistos, o cisto hemorrágico também é um cisto considerado comum. Mas diferente dos demais cistos que tem em seu interior líquido, o hemorrágico é composto de sangue.

Normalmente os cistos desaparecem após a fase ovulatória, diferente do cisto hemorrágico, que além de continuar ativo, continua a crescer. O grande risco, é do cisco hemorrágico se romper e o sangue do interior simplesmente “vazar” pelos ovários.

Dependendo da dimensão e da intensidade do cisto hemorrágico, o ginecologista indicará um procedimento cirúrgico para retirada desse sangue em seu interior. O tratamento para cisto hemorrágico dependerá do tipo, tamanho e riscos que ele apresenta.

Cisto Dermoide

O cisto Dermoide diferente dos demais é desenvolvido por acumulo de células na região dos ovários. Por isso, podem demorar anos e anos para ser detectado através de exames de imagem ou até mesmo apresentar algum sintoma.

Mesmo ficando localizado nos ovários, o cisto Dermoide se não tiver um tamanho elevado, não interrompe a ovulação. Mas quando constatado através de exames, é necessário acompanhamento ou até mesmo intervenção cirúrgica para retira-lo. Já que, com o tempo ele pode crescer e chegar a ultrapassar o tamanho dos ovários causando dores intensas a mulher.

Cisto Endometrioma

Como o próprio nome já diz, o cisto endometrioma ocorre normalmente com mulheres que sofrem com endometriose. Esse tipo de cisto pode ocorrer tanto dentro dos ovários, como fora, inclusive no útero. Toda área onde tiver contato com o sangue endometrial pode se alojar um cisto endometrioma.

O tratamento pode ocorrer através de acompanhamento hormonal ou em alguns casos, ser necessário intervenção cirúrgica para retirada.

Sintomas do Cisto no Ovário

Como já relatamos anteriormente, os cistos no ovário nem sempre apresentam sintomas. Alguns casos, podem ser tão silenciosos, que a mulher passar por anos até descobri-lo ao realizar um exame de ultrassom.

Em cistos considerados maiores, superiores a 3 cm, pode-se apresentar alguns sinais, algumas vezes confundidos com outras causas. Por isso, é necessário em caso de dúvidas, procurar imediatamente seu ginecologista ou manter a visita e os exames de rotina ginecológica em dia.

Outros sintomas podem ocorrer, como maior sensibilidade nos seios, cólicas intensas, dores nas costas, sensação de barriga inchada. Para ter o diagnóstico correto, o médico não poderá se basear somente em sinais, portanto, exames avaliatórios serão solicitados para análise e confirmação.

Diagnóstico do Cisto no Ovário

Normalmente os exames solicitados pelo ginecologista para análise e confirmação da presença de cistos, assim como suas medidas e tipo de cisto são os de imagens, como ultrassonografia transvaginal, ressonância magnética, tomografia computadorizada e também pode ser solicitado um exame de beta HCG para verificar a possibilidade de uma gestação ectópica.

Cisto no Ovário Impede Engravidar?

É muito comum, as mulheres quando recebem o diagnóstico de cisto no ovário, se desesperarem e acreditarem que estão inférteis. Na verdade, o cisto não causa infertilidade,
mas em alguns casos pode provocar dificuldades para que a mulher engravide, mas isso depende de diversos fatores.

As dificuldades para engravidar geradas pelo cisto no ovário ocorrem devido as alterações hormonais que o problema ocasiona. Normalmente o cisto causa menstruaçao irregular ou até mesmo ausência menstrual que naturalmente vai atingir a fase ovulatória, que com sua vez, sem ela, não é possível engravidar.

Portanto, se deseja engravidar o melhor a se fazer é procurar o ginecologista da sua confiança, fazer todos os exames solicitados e o tratamento indicado. Normalmente, o tratamento para cistos no ovário são a base de anticoncepcionais, que irão atuar nos ovários, fazendo com que o cisto desapareça.

Com o acompanhamento adequado, com alguns meses seus ovários estarão limpos e em breve estará liberada para iniciar as tentativas para engravidar. A melhor forma de resolver a situação rapidamente, é fazer o tratamento certinho, sob acompanhamento médico.

Se a mulher engravidar, sendo portadora de cistos nos ovários, é necessário acompanhamento especifico no pré-natal, para garantir que nenhum efeito hormonal do cisto venha atrapalhar o desenvolvimento do embrião, ainda mais no primeiro trimestre que é essencial.
Foto: Ed Uthman, MD