O processo natural de todos seres humanos é de crescer, se tornarem férteis e se reproduzirem, e todo esse processo parece bem simples de acontecer, quando é decidido que chegou a hora de ter um filho. Mas infelizmente não é bem assim com todos os casais, e alguns percalços podem ocorrer no caminho e sendo necessário alguns métodos e tratamentos para realizar esse sonho, como é o caso do FIV.

O que é o FIV?

FIV é a sigla do método de reprodução humana de fertilização In Vitro, muito utilizado como opção para os casais que tem algum problema de fertilidade, seja ele simples até os mais complexos. Ou até mesmo porque possuem certa dificuldade em conseguir engravidar pelos métodos naturais.

O método consiste na fecundação assistida de forma laboratorial, onde o óvulo da mulher recebe o espermatozoide totalmente preparado. Após fecundação completa, o embrião é transferido para o útero da mulher, onde será acompanhado seu desenvolvimento.

O método além de todo processo laboratorial, precisa de um tratamento antecipado, além do preparo através do acompanhamento do especialista em reprodução assistida para que tudo ocorra de forma saudável e dentro do esperado.

Passo a Passo da FIV

Todo o processo do método FIV é iniciado através da primeira consulta com o especialista em reprodução assistida. Durante a consulta, todas as dúvidas serão tiradas sobre o método e serão realizadas anotações sobre históricos de doenças e toda a saúde do casal.

Exames para avaliar a saúde fértil do casal serão solicitados, como espermograma, exames de sangue e antimulleriano. Após análise dos resultados será confirmado a necessidade do procedimento ou se outro método se enquadra a necessidade do casal.

Confirmada a indicação da FIV para o casal, a indução de ovulação será iniciada. O tratamento de indução ocorrerá no prazo entre 5 a 10 dias e será realizado através de injeções de hormônio que devem ser aplicadas na área abdominal.

Durante esse processo de estimulação ovariana, ultrassons serão realizados para acompanhar a evolução e confirmar o surgimento de folículos ovarianos. Quando eles se romperem, dando lugar aos óvulos maduros e dominantes serão coletados para dar sequência ao procedimento de fertilização.

Em alguns casos, pode ser utilizado a ajuda de outro medicamento que auxiliará na maturação dos óvulos, garantindo que estarão prontos o suficiente para serem coletados e fertilizados de forma mais saudável possível.

No momento de coleta dos óvulos no processo da FIV é indicado a retirada de 2 a 12 óvulos que serão levados imediatamente para armazenamento e preparo do laboratório. Em paralelo a todo esse tratamento e acompanhamento da mulher, a coleta do sêmen será realizada também. No laboratório, serão examinados e selecionados os melhores espermatozoides, com maior mobilidade para serem fertilizados.

Com os óvulos maduros já coletados e espermatozoides já selecionados, o processo da FIV é realizado. Os espermatozoides serão injetados dentro do óvulo, onde será gerado o embrião.

Após 5 dias da realização da FIV, os embriões gerados serão avaliados e os considerados mais fortes e saudáveis serão transferidos ao útero da mãe.

IMPORTANTE:No momento de separação dos embriões, são escolhidos até 3 para transferência uterina

Após a transferência dos embriões no processo da FIV, é necessário que a mulher continue o tratamento à base de progesterona, que garantirá o fortalecimento do endométrio. Com o endométrio reforçado, as possibilidades de o embrião ser implantado e continuar a se desenvolver de forma saudável são maiores.

Após toda a realização da FIV, em média de 10 a 12 dias deverão ser aguardados para confirmação do sucesso do procedimento. Através da realização de um exame de sangue de beta HCG, se confirmará se a gestação está evoluindo.

Existem Chances da FIV Não Dar Certo?

Como qualquer procedimento médico ou de reprodução assistida, existe sim a possibilidade de não dar certo. Obviamente todos os cuidados, exames e acompanhamento serão feitos para garantir maiores possibilidades.

Mulheres com faixa etária de 30 a 35 anos de idade e casais considerados saudáveis através dos exames de fertilidade, tem grande chance de conseguir engravidar já na primeira tentativa da FIV.

Lembrando que não existe números limites para realizar tentativas de FIV. Quantas o casal quiser e tiver como arcar, serão realizadas, desde que o especialista esteja de acordo.

Após a separação dos melhores óvulos a serem fertilizados, os que não foram utilizados não são descartados. É realizado o congelamento deles para uso futuro, até mesmo como possibilidade de não dar certo na primeira tentativa da FIV.

Para as mulheres com idade superior a 40 anos, as chances reduzem um pouco, devido a sua reserva ovariana. Mas com o tratamento adequado dos especialistas e o acompanhamento devido tem grandes chances de conseguir.

E Quando Detectado Algum Problema na Ovulação ou nos Espermatozoides?

Durante a realização dos exames de fertilidade, é possível que algum problema seja detectado, tanto nos exames da mulher como no do homem. No caso das mulheres, se constatado a incapacidade de utilizar os seus próprios óvulos, pode ser indicado o uso de óvulos doados, sejam eles de doadoras anônimas ou até mesmo utilizar de alguma doadora da família ou conhecida.

No caso dos homens, o processo também parecido. Se confirmada a impossibilidade de utilizar os espermatozoides para a FIV, pode ser indicado o banco de sêmen e tudo será realizado com a maior discrição e cuidado.

Existem diversas formas de se solucionar o problema e de realizar o sonho da maternidade. Isso, se o casal estiver aberto a todas as possibilidades para isso, até mesmo de usar o material de doadores.

Os bancos de ovulo e sêmen são totalmente especializados e aptos para controle, armazenamento e também de cuidados para indicar o material esperado para o casal. É considerado diversos fatores antes da escolha.

Banco de Óvulos

Ainda é muito difícil de encontrar bancos de óvulos, mas algumas clinicas e laboratórios já oferecem esse tipo de serviço, de armazenamento de óvulos por doação. Normalmente as candidatas oferecem seus óvulos visando ajudar outras famílias ou até mesmo por dividir às custas de seu próprio tratamento com outra mulher receptora que também está em tratamento. Esse processo é conhecido como doação compartilhada.

IMPORTANTE: A venda de óvulos é expressamente proibida, considerada crime.

A coleta de óvulos é realizada através de uma sequência cautelosa de recrutamento e cuidados. É necessário passar por um processo de estimulação ovariana e a indicação para doação é de que a mulher tenha até 35 anos, devido a qualidade dos óvulos e ao baixo risco de problemas genéticos.

O processo para utilizar óvulos doados é semelhante ao que se fosse da própria mulher. Será necessária uma estimulação ovariana, acompanhamento através de ultrassom e coleta no período ideal para coletar os óvulos maduros para serem fecundados.

Banco de Sêmen

Assim como a doação de óvulos, existe também a doação de sêmen. Neste caso, muito mais fácil de encontrar, pois existem bancos de sêmen em várias localidades. Normalmente, quando o casal está já em acompanhamento com especialista em reprodução assistida e optou pela FIV, pode ser já direcionado para um banco de sêmen já cadastrado pela clínica.

Para ser um doador, é necessário passar por uma triagem rigorosa e avaliação de saúde. Serão coletados também todos os dados e informações dos doadores, inclusive para servir como informação para os casais que estão à procura da doação.

No processo de escolha do doador ideal, o nome do doador é totalmente anônimo. As únicas informações oferecidas são características físicas, genéticas, profissionais e hobbies, que facilitarão na hora da seleção e escolha.

Quem Pode Fazer a FIV?

Qualquer mulher ou casal considerado saudável e apto para passar pela FIV pode realizar o procedimento. Desde que esteja em total condições de passar por todo tratamento, indução de ovulação e de implantação do embrião.

Somente um especialista em reprodução assistida pode solicitar exames e avaliar as condições de ambos e indicar o tratamento adequado, assim como assistir e acompanhar à evolução do método.
Em caso de dúvidas, converse com seu ginecologista que te indicará um especialista ou uma clínica de sua confiança. Procure sempre especialistas cadastrados no Conselho Federal de Medicina.
Foto: DrKontogiannilVF