A inseminação intrauterina é a famosa inseminação artificial. Esse é um método de fertilização muito utilizado no qual os espermatozoides que foram previamente escolhidos e selecionados são injetados dentro do útero no intuito de que ocorra a concepção.

Por ser um procedimento relativamente simples, é comum que muitos especialistas recomendem uma inseminação artificial para casais com problemas não tão graves de infertilidade. Assim, geralmente recomenda-se para mulheres jovens e homens que possuem problemas simples de infertilidade.

seringa médica

Como ocorre uma inseminação intrauterina?

Inicialmente, para que uma inseminação intrauterina seja possível é necessário que se realize uma avaliação do casal. Nessa avaliação, é verificado o histórico médico de ambos, bem como outros exames pertinentes como para verificar a quantidade de reserva ovariana na mulher e o espermograma que vai analisar o sêmen masculino.

Após essa primeira avaliação, se realizam os seguintes passos:

  1. Estimulação ovariana: a mulher geralmente utiliza indutores de ovulação para garantir que os óvulos se desenvolvam corretamente e, consequentemente, o procedimento tenha maiores chances de sucesso.
  2. Ultrassom e indução: são realizados ultrassons para verificar o desenvolvimento dos óvulos e, quando atingem o tamanho ideal, ocorre a indução da maturação por meio da aplicação de uma injeção de HCG.
  3. Coleta do sêmen: a coleta do sêmen ocorre no dia da inseminação para que o laboratório examine e prepare a amostra com os melhores espermatozoides para potencializar as chances de fecundação.
  4. Inseminação: quando tudo estiver pronto, o sêmen coletado é introduzido por meio do canal vaginal. Não é necessária anestesia, pois é um procedimento indolor.

Vantagens do procedimento

Como vantagens, podemos citar o fato de que é um procedimento mais barato e, também, muito mais simples.

De forma geral, a IUI não tem contraindicações e é justamente por isso que muitos especialistas recomendam esta como uma primeira forma de tratamento para os casos mais
simples de infertilidade.

Desvantagens do procedimento

Devido ao fato de que não é realizada a implantação do embrião, mas somente dos espermatozoides mais saudáveis, as possibilidades de uma concepção ocorrer são quase as mesmas de uma gestação normal, pois a fecundação do óvulo pode não ocorrer dentro do corpo da mulher.

Além disso, muitos especialistas não indicam que sejam realizadas mais do que 3 tentativas seguidas de uma inseminação artificial, pois a partir desse número já se presume que a inseminação não ocorrerá.