Lembro quando minha esposa anunciou a gravidez, claro que fiquei muito feliz afinal era um sonho que estávamos realizando. Mas logo após esse momento, já comecei a pensar nas mudanças que nossa vida sofreria, principalmente financeira.

Como as mudanças não estavam acontecendo em meu corpo então conseguia focar mais em nosso futuro. Como seria? Ela iria voltar a trabalhar? Será que iria conseguir bancar nossa casa, dar o conforto necessário para eles? Será que estava pronto para assumir essa responsabilidade?

A gravidez foi evoluindo, era maravilho ver o corpo dela se transformando, a barriga crescendo e a cada dia ela estava mais linda e eu mais apaixonado. Além do corpo é claro que aconteceram milhares de mudanças em seu emocional. Que fase complicada!

Eu confesso que teve dias que tive vontade de sumir, olhar bem no fundo dos olhos dela e falar: Cara você esta insuportável! Como desejei minha esposa carinhosa e meiga novamente, mais sabia que era só uma fase que ia passar. Esse foi o mantra que carreguei em minha vida por 9 meses.. VAI PASSAR (mal sabia que ia se estender muito mais que simples 9 meses).

Quando pensei que as coisas estavam melhorando, o final da gestação chegou e junto com ele o parto. Lembro que cansei de ver mulheres parindo (acho que é assim que se fala), de todos os jeitos, posições, em casa, no chão e na banheira. Minha vontade era gritar e dizer chegaaaaaaaaa, não quero mais ver isso, mais sabe né? Temos que ser companheiro.

Nosso filho nasceu de um parto cesariana, depois de algumas horas de tortura (para mim o que ela passou foi tortura sim). Foi tudo lindo ate chegarmos em casa! Como pode um ser daquele tamanho mudar tanto a vida assim? Era choros e mais choros, em menos de 3 dias nossa vida, nossa casa virou de ponta cabeça.

Fiquei 15 dias integralmente com eles, e mesmo passando por momentos delicados, foram os melhores dias da minha vida. Sem dúvida meu amor por ela só cresceu e nosso relacionamento amadureceu. Não foi fácil para mim e sem dúvida para ela foi bem mais complicado, mas fomos parceiros nessa.

O dia mais difícil foi quando voltei a trabalhar e um dia antes o clima estava bem pesado. E no dia foi puxado, acordei as 4:30 como de costume, e ela estava amamentando, visivelmente triste, se despediu e eu fui com o coração apertado, me sentindo impotente em ter que deixa-los. Lembro que foi o dia mais longo de toda minha vida.

Uma coisa que não posso deixar de falar e sobre a relação sexual, na gravidez ate que não mudou muito. Agora depois do nosso filho, posso dizer que nem existia mais essa palavra. Voltar ao normal acho que demorou uns 4 a 5 meses para começar a normalizar, mas entendo que isso é normal.

Hoje nosso filho esta com 1 ano e 9 meses e sem dúvida é a alegria da nossa casa. É muito engraçado como sou apaixonado por ele! A nossa vida financeira sem dúvida mudou muito e minha esposa trabalha em casa para assim poder cuidar dele mais de perto e ao mesmo tempo me ajudar com as contas, e isso é maravilhoso.

O assunto ser Pai não e muito comentado, mais amamos muito esses pequenos que vieram para bagunçar a nossa vida e roubar a mamãe de nós. Só posso agradecer e muito por ter esse privilegio de ser pai.

Relato de Mario Silva sobre a vinda de seu bebê Vicente