Uma das dúvidas mais frequentes de mulheres com essa condição é: Quem tem lúpus pode engravidar? A resposta para essa pergunta depende bastante das condições de saúde que a mulher com lúpus pode apresentar.

A recomendação medica é que não engravidem devido aos riscos potenciais para ela e para o seu bebê. Mesmo assim, a maioria dessas mulheres, mesmo com todo risco que a doença pode trazer conseguem gerar e dar à luz a bebês perfeitamente saudáveis.

O Que é o Lúpus?

Lúpus é uma doença autoimune rara, mais comum em mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. No lúpus, a defesa imunológica se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro.

Como ataca determinadas áreas do corpo e causa sintomas variados, às vezes, pode ser confundido e seu diagnóstico atrasado.

Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especialistas. Pessoas que são tratadas da maneira correta, conseguem levar uma vida normal. As que não se tratam, acabam tendo complicações sérias, que muitas vezes podem levar a morte.

Como se Preparar Para Uma Gravidez Tendo Lúpus?

Para que a pergunta sobre se quem tem lúpus pode engravidar seja afirmativa, alguns passos devem ser tomados. Uma gravidez saudável começa bem antes dela acontecer. Portanto, é importante que você:

  • Certifique-se de que seu lúpus esteja sob controle – Quanto mais saudável estiver antes de engravidar, maior será a sua chance de ter uma gravidez e um bebê saudáveis. A gravidez sobrecarrega os rins, portanto, ter uma doença renal ativa pode causar problemas, e pode até levar à um aborto. Então, se possível, evite engravidar até que seu lúpus esteja sob controle por pelo menos seis meses.
  • Fale com o médico sobre a medicação – Alguns medicamentos são seguros para tomar durante a gravidez. Outros, no entanto, podem prejudicar o bebê. O médico pode precisar parar ou trocar alguns medicamentos antes da gravidez. Alguns deles precisam ser interrompidos meses antes da concepção.
  • Escolha um especialista em gravidez de alto risco – Como o lúpus pode apresentar certos riscos, é preciso um obstetra que tenha experiência com gravidez de alto risco e que esteja em um hospital preparado para esse tipo de situação. Se possível, buscar esse profissional antes de engravidar .
  • Fique de olho na cobertura do plano de saúde – Um plano de saúde inadequado pode fazer com que você e seu bebê não obtenham o tratamento que precisam. Certifique-se de que seu plano de saúde cobre suas necessidades de saúde e as de seu bebê, bem como quaisquer problemas que possam surgir.

Como Gerenciar Eventuais Problemas na Gravidez?

Os exames pré-natais regulares são importantes para todas as mulheres. Mas eles são especialmente importantes para mulheres com lúpus. Isso porque muitos problemas potenciais podem ser prevenidos ou tratados melhor se forem abordados antecipadamente.

Aqui estão alguns problemas que podem ocorrer durante a gravidez:

Crises – Algumas mulheres relatam melhora dos sintomas do lúpus durante a gravidez. Mas crises durante a gravidez ocorrem em até 30% das mulheres. Os períodos de aumento da atividade da doença ocorrem mais frequentemente durante os primeiros meses após o parto. Por isso é importante esperar para engravidar até que a doença tenha sido controlada por pelo menos seis meses, pois reduz o risco de crises durante a gravidez. A maioria das crises quando ocorrem, são leves. O médico pode tratá-las com doses baixas de corticosteroides.

Complicações hipertensivas – Complicações envolvendo hipertensão arterial podem afetar até 20% das mulheres grávidas com lúpus. A pressão arterial elevada pode ser provocada pela gravidez e pode aumentar o risco de pré-eclâmpsia. A pré-eclâmpsia ocorre a cada 5 mulheres com lúpus e requer tratamento imediato.

Aborto espontâneo – Aproximadamente uma a cada cinco grávidas com lúpus sofre um aborto espontâneo. Os abortos espontâneos são mais prováveis em mulheres com hipertensão arterial, lúpus ativo e doença renal ativa.

Parto prematuro – Cerca de uma a cada três mulheres com lúpus tem parto prematuro. Isso significa que o bebê poderá nascer antes de completar 37 semanas. Por isso é importante conhecer os sintomas do parto prematuro, que podem incluir:

  • Dor lombar
  • Pressão pélvica
  • Perda de sangue ou líquido transparente pela vagina
  • Cólicas abdominais
  • Contrações que ocorrem a cada 10 minutos ou menos

Procure ajuda médica o mais rápido possível caso tenha algum desses sintomas.

Quem tem lúpus pode engravidar sim, porém possui maior risco de complicações na gravidez. No entanto, seus bebês podem nascer tão saudáveis quantos os de mulheres que não possuem a condição!

Cuidados Durante a Gravidez Com Lúpus

Além de visitar o médico regularmente e seguir o plano de tratamento, há muitas coisas que são possíveis fazer para cuidar de si mesmo e do seu bebê, enquanto espera pela chegada dele:

  • Descanse bastante. Planeje uma boa noite de sono e faça pausas ao longo do dia.
  • Tenha uma alimentação saudável. Evite o aumento de peso. Peça ao médico que a encaminhe para um nutricionista, caso seja necessário.
  • Evite cigarro e bebidas alcoólicas.
  • Se tiver sintomas incomuns, fale com o médico imediatamente.

Como Gerenciar o Nascimento do Bebê?

O médico irá decidir o método de parto – cesariana ou vaginal. Ele fará isso levando em consideração a saúde da mulher e também, a saúde do bebê no momento do parto.

Muitas mulheres com lúpus podem ter partos vaginais, mas, se a mãe ou o bebê estão sob estresse, uma cesárea pode ser a maneira mais segura e rápida de parto.

Se mulher tomou esteroides durante a gravidez, o médico poderá aumentar a dose durante o trabalho de parto para ajudar o corpo a lidar com o estresse adicional.

Muitas vezes, mesmo que o parto saia perfeitamente bem, mulheres com a condição, experimentam crises fortes de lúpus logo após o nascimento do bebê.

Assim também, outros problemas podem ocorrer após o parto, e incluem:

  • Problemas de amamentação – Os bebês nascidos prematuramente podem não ser fortes o suficiente para amamentar e extrair o leite materno. As mães que tiveram partos prematuros ou estão tomando certos medicamentos podem ter problemas para produzir leite. Além disso, algumas delas precisam tomar medicamentos que podem passar através do leite e são aconselhados a não amamentar. A maioria desses problemas podem ser resolvidos. É importante falar com o médico se tiver qualquer dúvida sobre a amamentação.
  • Lúpus neonatal – O lúpus neonatal não é o mesmo que o lúpus na mãe. Cerca de 3% dos bebês nascidos de mulheres com lúpus terão a condição. Na maioria das vezes é transitório, o que significa que irá passar. A condição consiste na presença de auto anticorpos da mãe na circulação no bebê, resultado da transmissão transplacentária. No momento em que o bebê tem 6 ou 8 meses de idade, a condição geralmente desaparece e nunca retorna. Em casos raros, bebês com lúpus neonatal terão um ritmo cardíaco anormal que é permanente e pode exigir um marca-passo.

Após o nascimento, é importante que faça visitas regulares ao médico para monitorar as mudanças que ocorrem em seu corpo. Verificar como ele se recupera e retorna para como antes da gravidez. Embora esteja focada em cuidar do bebê, que falte tempo para se preocupar com sua saúde lembre-se de que é muito importante cuidar de si mesma.

Veja Também: Terapia de Reposição Hormonal: Benefícios e Consequências
Fotos: Doktorinternet