ultrassom transvaginalO ultrassom é importante em qualquer fase da vida da mulher, mas é muito mais para quem deseja engravidar. Verificar se está tudo ok no organismo reprodutor, tem vários aliados indispensáveis da medicina, entre eles o ultrassom transvaginal. E você sabe por que este exame ajuda tanto para quem quer ter um bebê em um curto\médio prazo? O que é o ultrassom transvaginal e como ele é feito?

O ultrassom é um exame sem riscos para a mulher. É feito à partir de um aparelho que emite ondas muito rapidamente e inofensivas. As ondas ultrapassam tecidos que estão envoltos por água e quando se deparam com algum obstáculo, ele devolve as ondas em formato de imagens. Por isso é eficaz e indolor. Claro, como o próprio nome diz, o exame é feito através da vagina (trans = dentro + vaginal = vagina). Um aparelho longo e redondo com o emissor das ondas na ponta. Para evitar contágio de doenças e bactérias, o médico protege o equipamento com um preservativo novo a cada paciente. Para facilitar, também é aplicado um gel à base de água, para ajudar na condução das ondas e também na introdução do aparelho na vagina. Para essa introdução, a mulher deve se deitar com as pernas arqueadas e abertas. O exame é rápido e não indolor. A grande diferença da ultrassom feita através da barriga e a trans, realmente a eficácia com que se consegue ver os órgãos. Importante ressaltar que mulheres virgens não fazem esse tipo de exame.

Para Quê o Ultrassom Transvaginal?

O ultrassom transvaginal é fundamental para verificar a saúde dos órgãos reprodutores femininos. Isso porque é possível ter uma ideia exata da situação, visualizando o útero, ovários, colo do útero e quase sempre as trompas também. Dentre os problemas que o ultrassom pode detectar estão:

Morfologia do útero: Com o ultrassom transvaginal é possível verificar se o útero possui algum problema na sua formação. Problemas como útero septado, útero bicorno, didelfo etc. Até mesmo problemas com a altura e espessura uterina, tamanho ideal (pode-se inclusive detectar possível útero infantil na idade reprodutiva) e problemas com o colo do útero. Colo do útero curto é uma condição que pode atrapalhar caso a mulher engravide. Também é possível verificar a posição do útero, há mulheres que possuem útero retrovertido ou invertido. À seguir, um exame feito via transvaginal, porém, há conteúdo para maiores: nudez que pode incomodar.

Ovários: Caso haja algum problema nos ovários como má formação ou mesmo micro policísticos, é possível verificar através do ultrassom transvaginal. Também e possível detectar se houve ou não ovulação em determinado ciclo, e como os medicamentos de indução de ovulação funcionarão no organismo desta mulher, se for o caso. Aliás, o ultrassom transvaginal é muito eficiente se feito em uma sequencia (ultrassom seriada). Assim é possível detectar exatamente quando a mulher poderá ovular, através do tamanho dos folículos. Acima de 19mm até um limite de 33mm, é possível que haja ovulação. À partir deste tamanho de folículo (33mm) a o óvulo se torna inviável.

Endométrio: Também é possível verificar o tamanho do endométrio no ultrassom transvaginal. Se muito fino, é possível que tenha acabado de menstruar ou não tenha havido estímulo hormonal, se grosso secretor e tri laminar pode haver gravidez, se apenas grosso com aspecto massudo, possivelmente irá menstruar em breve.

No ultrassom transvaginal também é possível verificar problemas como varizes uterinas, sinéquias, presença de líquidos que podem ser indicio de infecção, pólipos endometriais, miomas, espessura do colo do útero e muitos aspectos.

Para quem deseja engravidar, não só o ultrassom transvaginal é importante, mas outros exames. Papanicolau, exames hormonais e até avaliação de possível corrimento que possa existir durante o ciclo. Caso haja coceiras e ardor, o ideal é que o médico investigue a fundo o que está acontecendo. O exame de ultrassom transvaginal deve ser feito periodicamente mesmo se a mulher não deseja engravidar. Nesses casos, é para manter a saúde do aparelho reprodutor intacta.

Veja também: O Que é Folículo Dominante no Ovário?

Fotos: davis.steve32