A placenta é parte fundamental da gestação. Ela é responsável pela nutrição de oxigênio e nutrientes necessários para o crescimento do bebê. O descolamento de placenta traz riscos a essa gestação, pois quando ele acontece, dependendo da gravidade, pode levar à um parto prematuro ou infelizmente levar a morte do bebê.

Riscos do Descolamento de Placenta

Esses riscos acontecem pois, com o descolamento da placenta da parede uterina (onde deve permanecer até o final da gestação) a passagem de todos os benefícios do corpo da mãe que passam para o bebê através desse órgão temporário, são comprometidos.

Função da Placenta na Gravidez

A placenta também funciona para o organismo da mãe para o bebê como uma espécie de barreira que determina o que deve ou não chegar até o bebê como por exemplo bactérias e doenças. Por isso alguns medicamentos são vetados, são aqueles que conseguem passar por essa barreira protetora da placenta. Além de todos os nutrientes, a placenta também é secretora de diversos hormônios responsáveis pela boa saúde na gravidez, por isso o descolamento deve ser detectado o quanto antes.

O descolamento de placenta é comum que aconteça após o início do 3º trimestre de gestação, isto é, após a 27º semana. Porém nada impede que esse descolamento apareça antes desse tempo. Com poucas semanas de gestação, o descolamento temido é o do saco gestacional, porém são coisas diferenciadas. O saco abriga o bebê e a placenta ao mesmo tempo em um tamanho bem menor do que a fase em que o descolamento de placenta está arriscado a acontecer, por volta do 7º mês de gravidez.

O que é Descolamento de Placenta

Podemos dizer que o descolamento de placenta acontece quando a o órgão sofre um deslocamento do lugar de onde está fixado. Entre a parede uterina e a placenta pode acontecer um acúmulo de sangue ou entrada de ar e cria um espaço entre a parede uterina e a membrana placentária.

Causas do Descolamento de Placenta

As causas do descolamento de placenta são normalmente efeitos de antes de a gravidez acontecer como hipertensão ou DHEG (doença hipertensiva exclusiva da gravidez) e diabetes, por exemplo, mas também pode acontecer por:

Se a gestante apresentar alguma dessas características o médico vai ficar com sinal de alerta ligado e em qualquer sinal de descolamento, entrar com as medidas cabíveis e preventivas.

Sintomas de Descolamento de Placenta na Gravidez

O descolamento de placenta tem como características dores abdominais e nas costas. Na maioria dos casos o descolamento de placenta também traz sangramentos de pequeno ou grande volume e pode ser acompanhado ou não de líquido amniótico.

O descolamento de placenta também tem como um dos sintomas a pouca movimentação do bebê, por isso se houver dores agudas e baixa movimentação é preciso procurar ao pronto socorro da maternidade ou o seu médico obstetra. As contrações frequentes também são um dos sintomas do descolamento de placenta.

Sangramento é Sinal de Descolamento de Placenta?

É importante dizer que nem todo sangramento na gestação é sinal de descolamento de placenta, mas a causa deve ser investigada. O sangramento pode acontecer por placenta prévia, pólipos uterinos, vasos sanguíneos que arrebentam em alguma relação sexual e até mesmo baixa hormonal.

Tratamento

O tratamento para o descolamento de placenta é no geral medicamentoso e repouso. Se o caso não for grave a gestante pode ficar em casa mesmo em repouso absoluto. Em casos graves de descolamento, os médicos monitoram a gravidez e aplicam medicação corticoide como Celestone para amadurecimento do pulmão do bebê.

Gestações abaixo de 28 semanas de gestação, são consideradas extrema prematuridade. Em caso de descolamento prematuro de placenta, o médico irá tentar adiar o quanto puder o parto, porém se tiver risco ou sofrimento fetal, o parto será induzido ou uma cesariana pode ser feita emergencialmente.

Veja também: Grau da Placenta – Desvendando Grau 1, 2 e 3

Fotos: moppet65535 , Loving Earth